Tamanho da fonte: A- A+
MENU
ALUNO

Comissão Própria de Avaliação - CPA



I – A CONCEPÇÃO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

A Avaliação Institucional é um dos componentes do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), instituído pela Lei n. 10.861, de 14 de abril de 2004 e está relacionada à melhoria da qualidade da educação superior, à orientação da expansão de sua oferta, ao aumento permanente da sua eficácia institucional e efetividade acadêmica e social e ao aprofundamento dos compromissos e responsabilidades sociais das instituições de educação superior, por meio da valorização de sua missão, da promoção dos valores democráticos, do respeito à diferença e à diversidade, da afirmação da autonomia e da identidade institucional.

A Avaliação Institucional divide-se em duas modalidades:

- Autoavaliação: Coordenada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) de cada Instituição e orientada pelas diretrizes da CONAES.

- Avaliação externa – Realizada por comissões designadas pelo INEP, a avaliação externa tem como referência os padrões de qualidade para a educação superior expressos nos instrumentos de avaliação e os relatórios das autoavaliações.

Em seu conjunto, os processos avaliativos devem constituir um sistema que permita a integração das diversas dimensões da realidade avaliada, assegurando as coerências conceitual, epistemológica e prática, bem como o alcance dos objetivos dos diversos instrumentos e modalidades.

Neste contexto, a CPA – Comissão Própria de Avaliação assume um papel muito importante, na medida em que é a responsável pela autoavaliação da Instituição, desenvolvendo um processo de autoconhecimento que envolve todos os atores que atuam na instituição, a fim de analisar as atividades acadêmicas desenvolvidas.

A autoavaliação representa, portanto, um processo de indução de qualidade da instituição, que deve aproveitar os resultados das avaliações externas e as informações coletadas e organizadas a partir do PDI, transformando-os em conhecimento e possibilitando sua apropriação pelos atores envolvidos.

Afinal, as ações de melhoria a serem implementadas pela instituição dependem de sua própria compreensão, de seu autoconhecimento.

A autoavaliação institucional, realizada pela CPA, deve considerar as seguintes dimensões: missão e plano de desenvolvimento institucional; política para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação e a extensão; responsabilidade social; comunicação com a sociedade; políticas de pessoal; organização e gestão da instituição; infraestrutura física; planejamento e avaliação; políticas de atendimento aos estudantes e sustentabilidade financeira.

Os resultados do processo de autoavaliação, consolidados em um relatório, representam importante subsídio para que a Instituição execute ações para corrigir as fragilidades e manter as potencialidades identificadas, com vistas à constante melhoria da sua qualidade.

II – A AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

A auto-avaliação tem como principais objetivos produzir conhecimentos, questionar as atividades e finalidades cumpridas pela Instituição, identificar as causas das suas fragilidades, propor ações decorrentes de seus processos avaliativos, de modo a construir mecanismos que assegurem o aperfeiçoamento constante dos processos de ensino e aprendizagem, envolvendo a capacitação docente e do corpo técnico-administrativo, fortalecendo as relações de cooperação entre os diversos atores institucionais, tornando mais efetiva a vinculação da Instituição com a comunidade.

Identificadas as fragilidades e as potencialidades institucionais, a auto-avaliação é um importante instrumento para a tomada de decisões a partir de relatório contendo análises críticas e sugestões de melhorias da qualidade da educação e aumento permanente da sua eficácia e efetividade acadêmica e social.

A auto-avaliação é, portanto, um processo cíclico, criativo e renovador de análise, interpretação e síntese das dimensões que definem a IES.

III – DIMENSÕES DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NO ÂMBITO DA FACTHUS

A avaliação institucional tem por objetivo identificar o perfil e o significado da atuação da FACTHUS, por meio de suas atividades, cursos, programas, projetos e setores.

Neste documento, são apresentados, na forma de orientações gerais, alguns tópicos que permitem a operacionalização da avaliação dessas dimensões.

Desta forma, possibilita à IES que, respeitando suas especificidades, proceda à elaboração de seu processo próprio de auto-avaliação institucional.

Dimensões:

1. A missão e o Plano de Desenvolvimento Institucional.

2. A política para o ensino e a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, o programa de monitoria e demais modalidades.

3. A responsabilidade social da instituição, considerada especialmente no que se refere à sua contribuição em relação à inclusão social, ao desenvolvimento econômico e social, à defesa do meio ambiente, da memória cultural, da produção artística e do patrimônio cultural.

4. A comunicação com a sociedade.

5. As políticas de pessoal, as carreiras do corpo docente e do corpo técnico-administrativo, seu aperfeiçoamento, desenvolvimento profissional e suas condições de trabalho.

6. Organização e gestão da instituição, especialmente o funcionamento e representatividade dos colegiados, sua independência e autonomia na relação com a mantenedora, e a participação dos segmentos da comunidade universitária nos processos decisórios.

7. Infra-estrutura física, recursos de informação e comunicação.

8. Planejamento e avaliação, especialmente em relação aos processos, resultados e eficácia da auto-avaliação institucional.

9. Políticas de atendimento aos discentes e egressos.

10. Sustentabilidade financeira, tendo em vista o significado social da continuidade dos compromissos na oferta da educação superior.

IV – A CPA FACTHUS

A Comissão Própria de Avaliação – CPA da FACTHUS foi criada em 27 de setembro de 2004 e, ao longo dos anos realiza os processos de auto-avaliação institucional, contribuindo para a construção de conhecimento sobre a sua realidade, compreendendo os significados do conjunto de suas atividades em prol da melhoria da qualidade educativa e cumprimento da sua responsabilidade social, local e regional.

Da aplicação dos questionários em papel ao uso da computação para a coleta e processamento dos dados, a CPA FACTHUS a cada ano, vem buscando novos instrumentos e metodologias que permitam que a auto-avaliação seja realizada de forma eficiente e segura, tornando-se cada vez mais transparente nas suas ações.

Contato: cpa@facthus.edu.br